A segurança sanitária alimentar

O malte e os extractos de malte provenientes principalmente da transformação da cevada são ingredientes que entram no fabrico de vários produtos alimentares consumidos pelo homem. Na qualidade de fornecedor das indústrias alimentar e das bebidas, a Malteurop está completamente comprometida na cadeia de segurança alimentar, tendo em conta que os seus clientes fabricam produtos de consumo e marcas distribuídas à escala mundial.

Na verdade, Food Safety é um aspecto essencial da gestão da qualidade que deve ser objecto de um seguimento particular ao longo da cadeia, desde a produção da matéria-prima por parte dos agricultores até à segunda transformação do malte e dos seus derivados pelas indústrias alimentares.

A Malteurop, na qualidade de participante na cadeia de valor do malte, tem uma abordagem sistemática e organizacional da Food Safety que começa muito antes do processo de maltagem propriamente dito. Esta organização e os seus procedimentos constituem o seu Food SafetyManagementSystem.

A segurança sanitária alimentar (Food Safety) antes do processo de maltagem

Antes e durante a cultura das cevadas, de modo a assegurar uma boa qualidade das matérias-primas, a Malteurop aplica um procedimento rigoroso da qualidade com diferentes procedimentos que abrangem também a Food Safety.

  1. Contratos com agricultores, concluídos directamente muito antes do semear, incluem variedades preferidas, a utilização de sementes certificadas, a produção de cevadas de acordo com as melhores práticas, uma lista restritiva de produtos de saúde vegetal e um registo com base em ficheiros.
  2. O Malteurop Barley Barometer é um sistema de seguimento mundial do desenvolvimento das plantas durante o período vegetativo. A partir de 6 meses antes da recolha, analisamos todos os meses as condições climáticas e sanitárias.
  3. Logo após a recolha e durante os 2-3 meses seguintes, o Malteurop Crop Monitoring System permite conhecer em tempo real a situação de qualidade e de segurança alimentar e a sua evolução. Obtendo antecipadamente centenas de amostras de cevadas de diferentes regiões de aprovisionamento, a Malteurop verifica sistematicamente as micotoxinas, eventuais traços ou resíduos de metais pesados e de produtos de saúde vegetal. Em função dos resultados, a Malteurop pode seleccionar as melhores regiões, para assegurar condições óptimas de segurança para os seus aprovisionamentos.

Na altura das compras de cevadas para fabrico de cervejas, o sistema de pré-autenticação da Malteurop consiste numa etapa suplementar de obtenção de amostras e de análises que permitem confirmar os comandos e volumes adequados.

A Food Safety ao longo do processo de maltagem

A chegada das cevadas é um ponto crítico para os controlos de Food Safety. Em cada fábrica, a Malteurop possui um procedimento claro de controlo das chegadas e de recepção. As amostras são levantadas antecipadamente directamente do camião, de todo o volume de carregamento.

Na fábrica, antes, durante e após o processo de maltagem, que dura cerca de dez dias, procedemos a 13 análises para medir cerca de 70 parâmetros de cevadas e de malte e supervisionar a evolução do produto em todas as etapas da sua transformação, desde a têmpera à germinação, e desde a estufa até ao armazenamento e entrega. Ao nível do transporte, um ponto de controlo importante assenta na limpeza das caixas, bem como o respeito pelas regras de compatibilidade das cargas anteriores com o transporte de cevadas e de maltes.

O NDMA representa o risco principal para a indústria do malte. Naturalmente, ele constitui um ponto de controlo crítico do método HACCP, e esta substância é objecto de uma supervisão apertada. A Malteurop possui o seu próprio sistema de prevenção em matéria de NDMA, com ciclos de controlo regulares para a análise mensal das estufas, um sistema de controlo da combustão e manutenção do sistema de aquecimento. Em todo o Grupo, só é utilizado o aquecimento indirecto das estufas.

Processo de limpeza e de controlo da higiene nas fábricas de malte

As boas práticas de fabrico são essenciais para a limpeza dos locais. O objectivo é evitar os riscos microbiológicos, quer se trate de cogumelos e bactérias que podem proliferar nas partes húmidas das fábricas, ou poeiras nas zonas secas.

Um processo de limpeza completo, tanto automático como manual, assegura as condições de higiene e segurança alimentar. A limpeza é um caso complexo: Um sistema de limpeza eficaz tem de ter os equipamentos adequados, horários sanitários no local e implementados activamente, e controlos de higiene após a limpeza.

A Malteurop também procura criar locais fáceis de limpar, que tenham sido criados ou instalados de modo a obter condições adequadas para facilitar a limpeza (superfícies planas, acesso…).

Como a limpeza é uma preocupação diária, uma questão de atitude num desafio permanente, o elemento humano é de extrema importância. A limpeza precisa de procedimentos, de pessoal qualificado e formado, e de melhorias permanentes. A Malt Academy da Malteurop também desenvolveu uma formação especial dedicada às boas práticas em matéria de higiene e de limpeza das fábricas de malte.

Em termos de referências e de normas, as fábricas da Malteurop integram o sistema HACCP. De acordo com os países, as certificações são efectuadas no âmbito da norma ISO 9001 de gestão da qualidade, ou da norma 22000, e de acordo com as auditorias feitas por organismos de controlo e de certificação independentes (NSF Cook & Thurber, TÜV, Veritas, etc.).