A energia

A Malteurop procura a eficácia energética máxima para limitar a utilização de recursos. Por um lado, implementando o mix energético mais bem adaptado à disponibilidade dos recursos energéticos locais e aos custos energéticos do mercado. Por outro, durante o processo, optimizando o consumo e recuperação de energia.

Estrategicamente, a Malteurop tem dois objectivos e uma ambição: O desempenho técnico e económico, o desenvolvimento da quota das energias renováveis e, a prazo, a autonomia energética.

A procura da fonte energética mais bem adaptada

A Malteurop combina o recurso a várias fontes de energia para responder às suas necessidades em energia, que são actualmente de 1265 GWh por ano. Caldeiras a gás, caldeiras eléctricas ou de biomassa: A escolha é determinada para cada instalação industrial de acordo com as condições locais.

Bombas de calor

A Malteurop é um precursor na implementação das bombas de calor na indústria do malte (desde 1984 na fábrica de malte de Vitry). A partir da electricidade, a bomba de calor produz energia térmica com um coeficiente multiplicador energético com excelentes desempenhos. A Malteurop recorre a bombas de calor nas fábricas de malte localizadas em países onde a energia motora é mais barata em valor relativo. Por exemplo, em França, as fábricas de malte de Vitry e Pringy foram reequipadas recentemente com bombas de calor da nova geração.

Centrais de cogeração a gás

A partir do gás ou de uma energia de biomassa, a central de cogeração produz energia térmica e electricidade. A energia térmica é utilizada para reaquecer a água, principalmente durante o ciclo de secagem em estufa. Na Malteurop, várias fábricas de malte são equipadas com uma central de cogeração de gás ou biomassa (em França e Espanha…).

Para gerar a combinação destas fontes múltiplas e moduláveis, a Malteurop desenvolveu com o seu parceiro Dalkia um novo sistema inteligente de gestão informatizada do consumo de energia. Desenvolvido em Vitry

Energia renovável: A Malteurop passa à cogeração de biomassa

A Malteurop investiu concretamente no desenvolvimento das energias renováveis através dos seus projectos centrais de cogeração a partir de caldeiras de biomassa.

O princípio adoptado é a combustão de madeira e de resíduos de cereais numa caldeira que produz vapor. Esse vapor é utilizado para a secagem em estufa do fabrico de malte e parte é dirigido para um gerador de electricidade.

Um projecto piloto de cogeração de biomassa, em parceria com a Dalkia, líder europeu no domínio, está em fase de construção nas instalações da fábrica de malte de Vitry. A partir do início de 2013, os recursos renováveis produzidos da valorização da madeira de corte das florestas de Ardenas, da madeira reciclada e dos resíduos vegetais de cevadas do fabrico de malte, alimentam esta casa de caldeiras de biomassa. Esta responderá às necessidades da fábrica de malte, permitindo a revenda de electricidade ao operador nacional.

Durante o fabrico de malte, optimizar o consumo de energia

Durante a transformação da cevada em malte, é a fase de secagem em estufa que consome bastante energia. A implementação de uma ferramenta de modelização do consumo térmico permite optimizar a quantidade de energia utilizada durante a secagem em estufa. Os parâmetros técnicos e a optimização das quantidades e rendimentos de ventilação, as temperaturas de sopro e a reciclagem de ar de saída da estufa são analisados e adaptados ao máximo em tempo real.

A implementação progressiva dos seguimentos dos desempenhos energéticos de cada instalação, a normalização do referencial dentro do Grupo e o desenvolvimento tecnológico de ferramentas de controlo do processo, reduzindo mais particularmente as perdas de cargas aerodinâmicas, os picos de consumos e o desrespeito pelas regras de termodinâmica permitiram continuar a diminuir duravelmente os consumos energéticos por tonelada de malte produzido.

… e a recuperação de energia proveniente do processo

A Malteurop investe na implementação de dispositivos de recuperação de energia instalados no interior das suas fábricas de malte. A ideia é recuperar dois tipos de energia: A energia do processo e a energia de acondicionamento.

Recuperar a energia do processo

Estes dispositivos de aquecimento indirecto recuperam a energia da secagem em estufa por troca estática em milhares de tubos de vidro. Sendo utilizados habitualmente nas fábricas de malte do Grupo, que foi o primeiro a utilizá-los, estes dispositivos recuperadores estão a ser modernizados e estão dotados com tubos de vidro da nova tecnologia e novas superfícies que permitem aumentar a taxa de recuperação, graças a um coeficiente de troca de calor com melhores desempenhos.

Recuperar a energia de acondicionamento de ar e de água

A Malteurop organiza a recuperação de energia de condensação dos fluidos frigorígenos para a produção do frio necessário para as fases do processo: Humedecimento, germinação, secagem em estufa. Estas energias são recicladas de acordo com as necessidades energéticas de ar da secagem em estufa.