Política de formação

Os eixos permanentes de formação articulam-se em torno de dois temas principais:

  • O controlo da profissão (actualização e aperfeiçoamento, métodos de trabalho, autonomia das equipas...),
  • A segurança e higiene, domínios cruciais na indústria agro-alimentar.

Agronomia e Indústria, dois domínios de conhecimentos

A nível agronómico, a coordenação internacional do desenvolvimento de variedades facilita as trocas e aumenta o conhecimento das matérias-primas (rendimento, sensibilidade às doenças, calibração, teor em proteínas). Os fluxos de informação vastamente partilhados no seio da Malteurop permitem optimizar os itinerários agronómicos nas diferentes zonas de produção do grupo.

A qualidade de uma cevada para o fabrico de cerveja traduz-se, entre outras, pela pureza da sua variedade. A avaliação deste parâmetro necessita de um reconhecimento visual rigoroso, cuja implementação é actualmente partilhada por todas as nossas filiais.

A nível industrial, o Centro Técnico tem como missão difundir vastamente os conhecimentos técnicos pelo grupo.

Acerca das novidades da fábrica de malte:

  • Análise rápida do malte,
  • parâmetros do “golpe de fogo” durante a secagem (controlo do equilíbrio humidade-cor-PDMS).

E acerca das especificidades das colheitas:

  • Detecção dos pré-germinados,
  • detecção do potencial gushing,
  • hibernação.

Condução da mudança e novo sistema de gestão

O grupo Malteurop comprometeu-se em 2007 num importante procedimento de mudança. Um dos componentes deste programa visa em melhorar a eficácia dos processos de gestão da Malteurop. Este projecto permitiu a implementação de um novo sistema de gestão integrado (ERP) para a França em Fevereiro de 2009 e continua com o desenvolvimento da mesma ferramenta para a Alemanha. Esta ferramenta é determinadamente orientada para a satisfação dos clientes.

A Escola do malte: Uma especificidade

A Malteurop inovou no sector do fabrico do malte, criando em 2006 a Escola do malte. Trata-se de uma estrutura original de formação interna e especializada no estudo de todas as competências acerca do malte e dos equipamentos de produção do malte. A Escola do malte nasceu da vontade de formalizar os conhecimentos específicos ligados a uma fieira cevada-malte-cerveja e ao fabrico do malte. A ambição é capitalizar a experiência interna em torno das profissões ligadas ao malte, partilhar uma cultura de experiência comum e difundi-la a todos os colaboradores.

Esta experiência piloto desenvolvida em França tem tendência para ser estendida a todo o grupo. Ela serve de suporte às actividades de consultadoria, em especial ao Malteurop Technical Development Program e ao Malteurop Manufacturing Program.

As acções de formação foram criadas por engenheiros, responsáveis de unidade de produção e responsáveis técnicos que asseguram eles mesmos a animação dos módulos de formação: Matérias-primas, parâmetros e técnicas de processo, cadernos de encargos e expectativas das cervejeiras...

A Escola do malte tem tendência a formar novos indivíduos na Malteurop e todo o pessoal que esteja em contacto directo ou indirecto com o malte. Este meio específico de formação converge numa maior profissionalização das equipas e na melhoria do desempenho das unidades de produção.